sábado, 8 de novembro de 2008

Trecho do Conto: "Pão com Margarina"


"... Maga, como era chamada por suas amigas da mesma idade, se agradou muitíssimo da idéia de casar-se com um homem um pouco mais velho que ela, ao contrário do que vemos em filmes de época, nos quais as mocinhas virgens sempre têm um amor impossível com um rapaz de sua idade, geralmente pobre, mas com um topete cheio de gel, jaqueta e calça jeans sensualmente apertada, bonito e que dança rock ‘n roll freneticamente. O que Maga queria era casar-se. Claro que Waldomiro seu pretendente também não era de se jogar fora. Médico recém-formado, era sim muito bem afeiçoado, gentil, galanteador e endinheirado. Sorte assim poderia não bater à sua porta uma segunda vez, anos depois, quando tudo já estivesse mais flácido em seu corpo. Era assim que Maga pensava e também por isso decidiu casar-se logo, pois tinha medo de perder essa oportunidade que ela julgava ser uma oportunidade de ouro, e também por isso antecipou a ‘lua de mel’ forçando Waldomiro a antecipar o casamento para limpar a sua honra que só ela e ele sabiam ter sido manchada.

Claro que o motivo de Maga não havia sido exclusivamente esse. Ela tinha um fogo fora do comum. Era espevitada como se diz no interior. Tinha fogo nas lambujas. Queimava que nem brasa, ardia que nem queimadura, era fogo aquela menina e tinha a quem puxar.

Sua mãe, dona Margarida já tinha por volta dos seus 30 anos quando teve Maguinha, era assim que ela carinhosamente chamava Margarina. Casou-se tarde, é verdade, isso porque seu pai, senhor Bartolomeu, avô de Maguinha, a obrigara a casar apenas depois do casamento de sua irmã mais velha, que se chamava Merendina e era tia de Maguinha. O nome de Maguinha, inclusive seria Merendina Sobrinha, em homenagem à sua tia que finalmente havia se casado e liberado sua irmã para casar-se também. Sim porque uma semana após o casamento de Merendina, Margarida casou-se e em exatos 9 meses depois do casamento Maguinha veio ao mundo. Porém, Merendina não achou justa a homenagem, já que Margarida havia esperado sofríveis 8 anos de noivado por sua causa e pediu a irmã que dividisse a homenagem e colocasse o nome da menina em homenagem às duas. E foi então que tiveram a brilhante idéia de..."

Um comentário:

Elton Raville disse...

Cadê o resto, pistiado? rs
Ow.. menina apimentada é bom, hein! ahaha
Sucesso, negão!